EXERCICIOS FISICOS E ALGUMAS LENDAS URBANAS

Por: José Marcos Educador Físico

Saúde e Fitness

Acredito que em todas as áreas de atuação profissional haja lendas, crendices e verdades e, como não poderia deixar de ser, na Educação Física as lendas urbanas são criadas proporcionalmente à mesma velocidade que a internet possibilita a divulgação e proliferação, sem contar toda informação sem embasamento científico criada, firmada e transformada em verdade dentro dos grupos de praticantes das inúmeras modalidades, seja nas academias ou ao ar livre, como corrida de rua, ciclismo, caminhada e por aí vai. Algumas dessas lendas seriam engraçadas se não fossem trágicas, pois podem colocar a saúde em risco: ainda existem pessoas que acreditam que a hidratação, beber água pura e simplesmente, só deva ocorrer no último estágio da sede, quando a boca nem abre direito de tão colada que está por falta de água. Parece absurdo, mas tem defensores ferrenhos desse procedimento muito perigoso que coloca em risco não apenas a prática esportiva, pois o rendimento cai abruptamente com a desidratação, mas principalmente a saúde fica comprometida com elevação da temperatura corporal, queda da pressão arterial, náuseas, câimbras e entre outros problemas de gravidade variada, óbito. Outra colocação muito comum ainda é de não se alimentar durante os treinamentos físicos ou práticas esportivas com o intuito de otimizar o processo de emagrecimento ou simplesmente por acreditar ser desnecessário. É sabido que a alimentação durante a prática de exercícios físicos com duração acima de 60’ ou, dependendo das circunstancias, com intensidades variadas em períodos menores, é de extrema importância tanto para manutenção do próprio exercício quanto para o emagrecimento, já que equilibrará o metabolismo que ao invés de buscar combustível na massa muscular, usará por indução do treinamento, a gordura como fonte secundária de energia. Obviamente a alimentação deve ser adequada e condizente com a prática esportiva. E por último e não menos alarmante é a afirmação contundente que tem rodado por redes sociais de que exercício físico envelhece a aparência e a saúde.  Fazer atividade física rejuvenesce o corpo e melhora a saúde. São inúmeros os benefícios que a atividade física traz para a saúde das pessoas, e que ajudam a evitar inúmeras doenças, tais como diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer, doenças cardíacas, depressão e obesidade. A argumentação contra é com relação à produção de radicais livres, que ocorre durante o exercício. Porém isso não ocorre quando a atividade é feita de forma regular e com intensidade moderada. Nosso corpo produz cerca de 95% de antioxidantes que combatem esses radicais livres. Já o exercício intenso, que leva à exaustão, esse sim pode alterar o equilíbrio de produção e combate aos radicais livres. Por isso é importante ter uma boa orientação na hora de fazer um programa de atividade física, que vai alternar os diferentes estímulos, sempre buscando promover saúde.